Tradução bíblica

Aprenda sobre as traduções da Bíblia e a execução de William Tyndale por heresia após traduzir o Novo Testamento para o inglês

Aprenda sobre traduções da Bíblia e a execução de William Tyndale por heresia após traduzir o Novo Testamento para o inglês. Uma discussão sobre traduções da Bíblia e de William Tyndale, que foi executado por heresia após traduzir o Novo Testamento para o inglês. Cortesia da Biblioteca Folger Shakespeare; CC-BY-SA 4.0 (um parceiro editorial da Britannica) Veja todos os vídeos para este artigo

Tradução bíblica , a arte e prática de traduzir a Bíblia em idiomas diferentes daqueles em que foi originalmente escrita. Tanto o Velho e o Novo Testamento tem uma longa história de tradução.



Segue-se um breve tratamento da tradução bíblica. Para tratamento completo, Vejo literatura bíblica: textos e versões.



O Bíblia judaica , a Antigo Testamento , foi originalmente escrito quase inteiramente em hebraico, com alguns elementos curtos em aramaico. Quando o império persa controlou a bacia do Mediterrâneo oriental, o aramaico tornou-se o língua franca da área, e por razões litúrgicas tornou-se necessário para os judeus comunidades da região para ter a Torá, ou Pentateuco (os primeiros cinco livros da Bíblia), traduzido para a língua comum do hebraico tradicional. Os Targums resultantes (do aramaico meturjão, tradutor) sobreviveu depois que os pergaminhos hebraicos originais foram perdidos.

países que fazem fronteira com o oceano índico

Em meados do século 3bceO grego era a língua franca dominante, e os estudiosos judeus começaram a tarefa de traduzir o cânone hebraico para essa língua, uma tarefa que não foi concluída por mais de um século. Como a tradição afirmava que cada uma das 12 tribos de Israel contribuiu com seis estudiosos para o projeto, a versão grega da Bíblia judaica veio a ser conhecida mais tarde (em latim) como o Septuaginta ( setenta 70).



O Escrituras Hebraicas era a única Bíblia do cristão primitivo Igreja sabia, e à medida que a jovem religião se espalhava pelo mundo de língua grega, os cristãos adotaram a Septuaginta. Nesse ínterim, muitos dos livros da Bíblia cristã, o Novo Testamento, foram escritos ou registrados pela primeira vez em grego e outros em aramaico.

A difusão do cristianismo exigiu mais traduções do Antigo e do Novo Testamento para o copta, etíope, gótico e, o mais importante, para o latim. Em 405, São Jerônimo terminou de traduzir uma versão latina que foi baseada em parte na Septuaginta, e esta versão, a Vulgate , apesar dos erros introduzidos por copistas, tornou-se o padrão do cristianismo ocidental por mil anos ou mais.

Ghirlandaio, Domenico: São Jerônimo em seu estudo

Ghirlandaio, Domenico: São Jerônimo em seu estudo São Jerônimo em seu estudo , fresco de Domenico Ghirlandaio, 1480; na Igreja de Ognissanti, Florença.



onde foi construído o primeiro metrô

Estudiosos hebraicos em escolas talmúdicas na Palestina e na Babilônia por volta do século 6estacomeçou a tentar recuperar e codificar as escrituras hebraicas, restaurando-as com autoridade e no Língua hebraica . Ao longo dos séculos, eles trabalharam para completar o texto tradicional, ou massorético, que desde sua conclusão no século 10 passou a ser universalmente aceito. A versão massorética foi transmitida por escribas com incríveis fidelidade até a época dos tipos móveis no século XV.

A Vulgata Latina de Jerônimo serviu de base para as traduções do Antigo e do Novo Testamento para o siríaco, árabe, espanhol e muitas outras línguas, incluindo o inglês. A Vulgata forneceu a base para a Bíblia Douai-Reims (Novo Testamento, 1582; ​​Antigo Testamento, 1609–1610), que permaneceu a única Bíblia autorizada em inglês para católicos romanos até o século XX.

A nova aprendizagem nos séculos 15 e 16 reviveu o estudo do grego antigo e levou a novas traduções, entre elas uma importante do humanista holandês Erasmus , que em 1516 publicou uma edição do Novo Testamento contendo o texto grego e sua própria tradução para o latim. Enquanto isso, na Alemanha, Martinho Lutero produziu a primeira tradução completa do grego e hebraico originais para uma língua europeia moderna. Sua tradução para o alemão do Novo Testamento foi publicada em 1522 e a da Bíblia completa em 1534; esta permaneceu como a Bíblia oficial para os protestantes alemães e foi a base para o dinamarquês, o sueco e outras traduções.



é Israel no Oriente Médio
Martinho Lutero

Tradução de Martinho Lutero do Velho Testamento Página de título da tradução de Martinho Lutero do Velho Testamento do hebraico para o alemão, 1534. Photos.com/Thinkstock

A primeira versão completa da Bíblia em inglês data de 1382 e foi creditada a John Wycliffe e seus seguidores. Mas foi o trabalho do estudioso William Tyndale, que de 1525 a 1535 traduziu o Novo Testamento e parte do Antigo Testamento, que se tornou o modelo para uma série de traduções inglesas subsequentes. Todas as traduções anteriores em inglês culminaram no King James Version (1611; conhecido na Inglaterra como Versão Autorizada), que foi preparado por 54 estudiosos nomeados pelo Rei Jaime I. Evitando literalismo estrito em favor de um uso extensivo de sinônimo, foi uma obra-prima do inglês jacobino e a principal Bíblia usada pelos protestantes de língua inglesa por 270 anos.



Tyndale, William; Bíblia

Tyndale, William; Bíblia A página inicial do capítulo 1 de O Evangelho Segundo John da tradução da Bíblia de William Tyndale, 1525–1526; na Biblioteca Britânica. Cortesia do Baptist College, Bristol, Inglaterra

em que cidade é Golden State
John Wycliffe

John Wycliffe John Wycliffe. Photos.com/Thinkstock

Na época da invenção da impressão em 1450, havia apenas 33 traduções diferentes da Bíblia. Por volta de 1800, o número subiu para 71. No final do século 20, a Bíblia inteira foi traduzida para mais de 250 idiomas, e porções da Bíblia foram publicadas em mais de 1.300 idiomas do mundo.

Novas traduções da Bíblia para o inglês proliferaram no século XX. Entre as Bíblias protestantes mais recentes estão a Versão Revisada (1881–85), uma revisão da Versão King James; a Revised Standard Version (1946–52), a New Revised Standard Version (1989), a New International Version (1978) e a English Standard Version (2001), que são amplamente aceitas pelos protestantes americanos; e The New English Bible (1961–70) e The Revised English Bible (1989). Entre as Bíblias católicas romanas estão uma tradução de Ronald Knox (1945–49); A Bíblia de Jerusalém (1966); The New Jerusalem Bible (1985); The New American Bible (1970); The Revised Standard Version, Catholic Edition (1966; também chamada de The Ignatius Bible); e The New Revised Standard Version, Catholic Edition (1989).

Idéias Frescas

Categoria

Outro

13-8

Cultura E Religião

Alquimista Cidade

Livros Gov-Civ-Guarda.pt

Gov-Civ-Guarda.pt Ao Vivo

Patrocinado Pela Fundação Charles Koch

Coronavírus

Ciência Surpreendente

Futuro Da Aprendizagem

Engrenagem

Mapas Estranhos

Patrocinadas

Patrocinado Pelo Institute For Humane Studies

Patrocinado Pela Intel The Nantucket Project

Patrocinado Pela Fundação John Templeton

Patrocinado Pela Kenzie Academy

Tecnologia E Inovação

Política E Atualidades

Mente E Cérebro

Notícias / Social

Patrocinado Pela Northwell Health

Parcerias

Sexo E Relacionamentos

Crescimento Pessoal

Podcasts Do Think Again

Patrocinado Por Sofia Gray

Vídeos

Patrocinado Por Sim. Cada Criança.

Geografia E Viagens

Filosofia E Religião

Entretenimento E Cultura Pop

Política, Lei E Governo

Ciência

Estilos De Vida E Questões Sociais

Tecnologia

Saúde E Medicina

Literatura

Artes Visuais

Lista

Desmistificado

História Do Mundo

Esportes E Recreação

Holofote

Companheiro

#wtfact

Recomendado